O Amor em Tempos de Cólera

Há poucos dias conheci o Gabriel García Márquez, quer dizer eu o conheci da mesma maneira que conheci grandes nomes da literatura, pelos livros. E mais uma vez foi graças ao Entre Mulheres e Letras. No começo pensei que pudesse ser romanceado demais, tipo aquele romance romantico de José de Alencar que pinga ilusão.
Pausa para sinopse:
“Florentino Ariza ainda jovem se apaixonou perdidamente por Fermina Daza. Entretanto, como Florentino apenas trabalha numa agência dos Correios, ele não é visto como um bom partido por Lorenzo Daza , pai de Fermina. Florentino pede Fermina em casamento, e ela aceita. Ao saber disto Lorenzo a envia para a fazenda de sua prima Hildebranda Sanchez, onde fica alguns anos. Florentino aguarda o retorno de sua amada mas, quando a reencontra, ela diz que nada quer com ele. Fermina passa a ser cortejada por Juvenal Urbino, um médico que luta para evitar a disseminação da cólera. De início ela não se interessa, mas posteriormente eles se casam e constituem família. Simultaneamente Florentino aguarda que Juvenal morra, para que possa enfim se casar com seu grande amor.”

Essa espera demora mais de 50 anos que ela vive sua vida normalmente e ele se dedica ao dia em que poderá conquista-la. Se tivesse sido escrito por outro talvez não seria abordado de uma maneira tão interessante, mas mais que me apaixonar pelo contexto eu me apaixonei pelo estilo de Gabriel García Márquez. Que é tão envolvente e te leva para dentro da vida aqueles personagens, e te deixa com saudade quando o livro acaba. Eu quero ler tudo de Gabriel, quero conhecer melhor o que tanto me encantou.
Depois de ler o livro, assisti o filme. E sempre vem as comprações, e sempre ouço falar, o livro é muito melhor que o filme. Eu vejo como duas coisas muito distintas e acho até injusto uma comparação. Demorei cerca de uma semana para ler o livro degustando as informações e o filme pode ser visto em cerca de 2 horas. É claro que o livro é mais complexo, o filme deixou várias informações fora e é uma adaptação, acaba atropelando um pouco a nossa própria idealização dos personagens e lugares. Mas deixando as comparaçòes de lado, também gostei do filme. E tinha lá Fernanda Montenegro interpretando Tránsito Ariza a mãe de Florentino Ariza que é interpretado por Javier Bardem, que eu particularmente adoro.
Eu recomendo o livro, o filme e recomendo ainda mais Gabriel García Márquez!

Anúncios

  1. Bailandesa

    Li o livro há muito tempo e também vi o filme. Realmente são coisas distintas. O importante é que a história é linda!
    Vou levar Cem anos de solidão no próximo encontro.

  2. vaneden

    Não sei exatamente definir a diferença de um escritor latino dos outras nacionalidades. Entretanto por alguma razão identifico-me muitissimo com eles: Garcia Marques esta no topo de todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s